Opinião

Sobre isto de sermos felizes

Todos queremos ser felizes e procuramos a felicidade como uma espécie de miragem que confiamos ser impossível de alcançar. A felicidade tem tanto de bem estar e satisfação com a vida, como de sermos capazes de traduzir emoções positivas e atribuirmos significados ao que fazemos. No fundo termos um propósito de vida, o nosso Ikigai.

Sentirmos felicidade não deveria ser uma corrida, que isto da satisfacão com a vida é algo que construimos nos passos que damos todos os dias. Temos esse poder. Não há felicidade sem o impulso de agirmos sobre a nossa condição. Parece fácil, não é? Desfrutar do presente, olhar para o passado com alegria e perspectivar o futuro com esperança.

A felicidade tem muitas caras e a virtude está em descobrir o que de único e irrepetível há em nós e nos faz sentir essa experiência de alegria. Muito ou quase tudo nas nossas vidas acaba por ser resultado de fragmentos da nossa intuição e de crenças imprecisas que com o tempo vamos deixando sedimentar.  Na corrida dos dias é fácil deixarmo-nos enrolar num novelo de causalidades que nos fazem perder oportunidades de sermos ou nos sentirmos felizes e inteiros. 

Para além das escolhas que fazemos todos os dias, a nossa noção de felicidade depende ainda, em partes não iguais, das circunstâncias da vida, que dificilmente controlamos, e da nossa predeterminação genética ou como gosto de lhe chamar, a nossa felicidade biológica.  O enigma da felicidade não passa por tentarmos agir sobre a nossa programação genética ou as circunstâncias da nossa existência. Passa antes por aceitarmos como parte da equação que deveremos tornar-nos agentes activos na mudança dos nossos comportamentos e atitudes.

Quer seja através do cuidar das relações que temos, do expressar gratidão, cultivar o optimismo ou aprender a perdoar, todos temos as nossas singularidades no caminho que escolhemos fazer para sermos felizes. 

Autor

Sonha em construir uma casa no Trisio. Acredita que sonhar não custa e por isso gosta de ter os pés um pouco levantados do chão.