Opinião

Caça ao tesouro em forma de guarda-chuva

Com as primeiras chuvas, vem uma das alturas do ano que mais gosto!

Uma época de caça ao tesouro! Tesouros, se possível.

O tesouro é apenas um fungo que cresce livremente por esse Portugal fora. O tesouro tem vários nomes, dependendo da zona do país em que estamos. Pode ser tortulho (ou tartulho) como se diz em Oleiros, frade, sentieiro, choteiro ou gasalho! Basicamente são cogumelos que só aparecem com as primeiras chuvas e que são autênticos petisco para muitos.



Eu passo o ano a sonhar com esta altura do ano!

Quem me ouve a falar, até pode achar que apanho muitos, mas isso é apenas um desejo. Na realidade, se encontrar meia dúzia por Outono, já sou uma moça bem feliz!
Para ir aos tortulhos é obrigatório gostar de andar no meio do campo e ter um cão. Esta requisição é apenas minha, pois um cão não acrescenta nada à procura, digamos que a companhia de um cão faz todo o sentido ali e sem cão parece que alguma coisa faz falta.
(Ou isso ou é apenas uma desculpa de alguém que nunca encontra assim tantos!)

Diz o povo, que para eles crescerem é preciso que algum gado tenha andado pelo terreno. Também se diz que nunca nasce um sozinho, dizem que onde cresce um está sempre outro por perto. Diz que é como as cerejas e que só funcionam em pares. Não sei até que ponto será verdade, mas gosto de repetir a sabedoria do povo.


A minha mãe diz que gosto mais de os procurar do que de os comer, talvez tenha razão. Não gosto particularmente quando os fazem com ovos mexidos, mas sou muito feliz quando asso um em cima do fogão a lenha com um fio de azeite e umas pedras de sal por cima. Isso é felicidade pura, meus amigos! Coisa para estrelas Michelin e tudo!

Há quem os apanhe às dezenas, mas esses não revelam os sítios onde os apanham – os malandros!

(Vá lá, só a mim! Vá lá!😊)

Outros apanham por acaso e os outros como eu, querem muito, mas apanham poucos – É a vida.

Neste feriado fui à procura deles pelo Oeste e escusado será dizer que nem um apanhei, mas pronto! A esperança é a última a morrer e eu cá continuo em busca dos tesouros em forma de guarda-chuva! 🦾

(As fotos são todas deste ano de 2020 e nenhuma minha – pois claro!)

Autor

Tradutora por habilitação, professora por profissão, viajante e curiosa pelo mundo por opção.