Opinião

Sobre amor verdadeiro

O amor verdadeiro não se encontra ao virar da esquina, mas conheço uma história que… Não se alcança sem maturidade emocional, mas nem sempre é bem assim… Só se vive em partilha, mas também se vive sozinho…

O amor verdadeiro não é tóxico, sabe dar espaço e aceitar que também podemos ser felizes lá fora. Também não é binário mas antes um degradê de emoções que vive de nos consentirmos disponibilidade para a incerteza de uma matemática que tem pouco de precisão e rigor lógico.

O amor verdadeiro não tem de ser para a vida toda, mas às vezes gostamos de lá ficar para sempre. E outras vezes, damos por nós na asfixia de uma narrativa fechada, a precisar de quarentena dessa coisa que chamávamos amor. 

É no olfacto, dizem alguns, que está a solução para o verdadeiro amor. Aquele amor arrebatador que nos faz achar que o tempo já não segue o princípio da causalidade. O hoje é facilmente amanhã, e o passado queremos que seja para sempre. Mas a ciência das interacções é (in)felizmente bem mais complicada do que um ancestral cocktail de feromonas.

O segredo para o amor verdadeiro é não haver segredo. É avançar mesmo com medo, deixar falhar umas vezes e esperar acertar outras tantas. É deixarmos a  vulnerabilidade colar-se-nos à pele e perceber que nisto do amor verdadeiro nunca estamos sozinhos, porque nós vamos estar sempre lá.

Autor

Sonha em construir uma casa no Trisio. Acredita que sonhar não custa e por isso gosta de ter os pés um pouco levantados do chão.