Crónica Opinião

Não escrever nada neste local

Vim aqui só dizer que não tenho nada para dizer.

Pode parecer uma contradição, mas é a legenda da grande maioria dos comentários das redes sociais.

Temos uma necessidade enorme de ter opinião sobre tudo. Quando há incêndios, lá vêm os especialistas em ignições florestais, quando é a justiça que tarda em funcionar, lá estão os catedráticos do código penal.

Costumo dizer que a liberdade de expressão é o melhor detetor de imbecis de todos os tempos, dantes andavam ocultos no silêncio, agora não, abrem a boca, e podemos fazer a triagem.

Confesso que uma das coisas que mais gosto, é quando aquilo que estamos a dizer contraria o nosso próprio discurso, idiossincrasias verbais são tesouros para mim (especialmente quando faço textos que seriam perfeitamente evitáveis, como este.

Por exemplo, quando alguém decide gritar, “mas vocês podem fazer pouco barulho?!” Os decibéis que emite, claramente anulam o conteúdo da sua frase. Ou quando alguém se lembra de chamar “inguenorante” a outrem.

Um baterista que morou comigo quando estudava no Porto, disse-me uma vez com ar muito sério, “Frank Zappa é daqueles músicos que amas ou odeias, não há meio termo”. Perguntei-lhe se ele gostava de Zappa, ele respondeu-me “mais ou menos”.
E eu lembrei-me do Homer Simpson, que foi desclassificado de um concurso em que participava, porque no formulário de inscrição, no local onde estava escrito, não escrever neste espaço (não sei como alguém não ousou apagar “não escrever nada neste local“ depois de escrever) mas parece que o Homer, imbuído da inteligência que todos sabemos que possui, terá escrito no mesmo local “está bem”.

Autor

Gosta de tocar piano, ler e escrever. Nasceu na Sertã e mora actualmente em Gaia.