Crónica Geral

Abril

Hoje a minha mãe faz anos. No dia 1 foi o meu pai.

Sempre achei curiosa esta proximidade de datas (e de idades) dos meus pais. Sempre me pareceu uma coincidência bonita. Para acrescentar a esta coincidência, parte da minha família nasceu também neste mês. Até eu nasci em Abril!

Abril é meu. Até tem um feriado… a provar que há revoluções que conseguem ser bonitas!

Há sempre algo de animador nesta altura do ano, em que começamos a sentir a chegada da Primavera, que nem sempre acontece com a mesma certeza climatérica, mas há normalmente dias luminosos e cada vez maiores.

Mas sabem porque é que escrevi sobre este assunto neste artigo? É que a minha mãe faz anos – não sei se vos tinha dito – e o artigo que escrevi esta manhã, que este vem substituir, era escuro, acre e um tanto ou quanto mordaz… E isso não me define nem faz jus à alegria que este dia merece.

A minha mãe nasceu na Serra – um lugar pequenino, cimeiro, com uma encantadora vista privilegiada sobre a vila de Oleiros. Gosto de imaginar que foi de lá que avistou o meu pai, que nasceu e morou no “cimo da vila”.

Conheceram-se, namoraram, ouviram Beatles juntos nos tempos em que o meu pai tocava no “conjunto”… e, aos vinte e poucos anos casaram na capelinha da N. Sra das Necessidades, na Serra – lá no alto. Rodeados da família e de serrania sem fim, num dia soalheiro de Julho.

Uma vida autêntica, ao ritmo das gentes, que nos faz comparar com os sonhos de hoje, vendidos já formatados.

Quanta gente de Las Vegas não sonharia poder casar ali.

Parabéns mãe, parabéns pai.

Autor

Metade músico, metade produtor, metade apaixonado por viagens, metade inquieto profissional.